Açores com maior aumento do país nos proveitos em alojamento turístico em 2023

INE revela que os proveitos totais nos Açores aumentaram 27,7% em 2023, verificando-se ainda aumentos nos rendimentos por quarto disponível (18,5%) e por quarto ocupado (15,8%).

O relatório do Instituto Nacional de Estatística (INE) sobre as Estatísticas do Turismo em 2023 revela que, no ano passado, os Açores foram a região do país onde os proveitos totais nos estabelecimentos de alojamento turístico mais aumentaram (27,7%), verificando-se um aumento ainda mais significativo nos proveitos de aposento (29,8%).

Segundo a publicação do INE, os Açores lideram o ranking das regiões onde se verificaram maiores aumentos, sendo seguido pela região do Oeste e Vale do Tejo, com crescimentos de 24,5% e 26,2% nos proveitos totais e de aposento respetivamente, e pela Grande Lisboa (+24,4% e +25,8%).

Refira-se que, em 2023, os proveitos totais nos estabelecimentos de alojamento turístico atingiram 6.015,3 milhões de euros (+20% face a 2022; +40% comparando com 2019) e os de aposento 4.622,6 milhões de euros (+21,4% do que no ano anterior; +43,1% face a 2019).

Os proveitos de aposento (valores cobrados pelas dormidas realizadas por todos os hóspedes nos estabelecimentos hoteleiros) representaram 76,8% dos proveitos totais, variando entre 70,5%, na
Madeira, e 80,9%, na Grande Lisboa.

A Grande Lisboa e o Algarve, no seu conjunto, geraram mais de metade dos proveitos dos estabelecimentos de alojamento turístico em 2023 (56,5% dos proveitos totais e 57,2% dos proveitos de aposento), embora tenha sido no Algarve que se tenham registado menores crescimentos (+11,4% e +12,3%, pela mesma ordem), realça o documento do INE.

Quanto ao rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) nos estabelecimentos de alojamento turístico, atingiu 64,8 euros em 2023, refletindo um acréscimo de 15,4% face a 2022 (+31,3% face a 2019).

O RevPAR aumentou em todas as regiões, destacando-se a Madeira (+22,6%), seguida da Grande Lisboa (+18,9%) e dos Açores (+18,5%), tendo os crescimentos mais modestos deste indicador ocorrido no
Alentejo (+8,4%) e no Algarve (+9,7%).

Já o rendimento médio por quarto ocupado (ADR) nos estabelecimentos de alojamento turístico situou-se em 113 euros em 2023, 9,1% acima do valor de 2022 (+26,6% face a 2019).

Este indicador cresceu em todas as regiões no ano passado, mas foi nas Regiões Autónomas que ocorreram os acréscimos mais elevados (+15,8% nos Açores e +14,1% na Madeira), seguidas da Grande Lisboa (+11,9%), revela o INE.

 

Açoriano Oriental (10/07/2024)