Abertas candidaturas para prémio de mérito académico e escolar

A Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo (CCAH) e a Caixa Económica da Misericórdia de Angra do Heroísmo (CEMAH) abriram a fase de candidaturas para a segunda edição do Prémio “José Inácio Cardoso”, para recompensar o mérito escolar e académico de açorianos recém-formados.

O Prémio visa distinguir jovens que tenham concluído recentemente os seus estudos com distinção e sucesso, em instituições de ensino reconhecidas, técnico ou superior, e que tenham, ou possam, em parte ou no todo, contribuir para o desenvolvimento da sociedade açoriana. Será atribuído anualmente, a dois recém-formados, um com o nível 3 ou 4 (técnico-superior), e outro com o nível 5 ou superior (licenciatura, mestrado ou doutoramento). Os vencedores serão anunciados em novembro e recebem, cada um, um troféu e um valor pecuniário de 1.000€, com apoio da CEMAH, e mentoria por parte de Duarte d’Ornellas Pedreira, com objetivo de os apoiar a atingir os objetivos de carreira, bem como pessoais. Duarte Pedreira é banqueiro no Crown Agents Bank, especializado em trade finance e mercados emergentes, e com trabalho filantrópico já desenvolvido no Ruanda, em África, onde criou uma escola para cerca de 100 crianças.

Os jovens devem ser naturais das ilhas Terceira, São Jorge e Graciosa e ter, no máximo, 35 anos. Podem submeter candidatura em https://forms.gle/hgPt52UNK5uXsBou7, até 27 de Outubro de 2022. Os critérios de avaliação para a atribuição do prémio são a média final de conclusão dos estudos, o curriculum vitae, a apresentação das razões para submissão da candidatura e uma entrevista. Mais informações podem ser consultadas em https://www.ccah.eu/projetos-ver?id=35.

A designação de Prémio, José Inácio Cardoso, deriva da fundação da Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo. José Inácio Cardoso foi um dos negociantes da cidade de Angra do Heroísmo, que impulsionaram o associativismo comercial na Ilha Terceira, e que fundaram a primeira associação comercial da ilha, em Abril de 1852.

Em 2021, na 1ª edição do Prémio, os vencedores foram Rebeca Couto, mestre em ensino de música e a melhor aluna da Escola Superior de Música de lisboa, com média de 19 valores e 20 valores no relatório de estágio, e André Coelho, técnico de produção agropecuária – PROFIJ Nível IV, na Escola Secundária Jerónimo Emiliano de Andrade, com média de 18 valores.