Rede digital de recolha de dados disponível para lavoura terceirense

Tendo por base uma rede de recolha de dados do tipo IoT, que já cobre cerca de 90% do território da ilha Terceira, o AIR Centre está a desenvolver um projeto que visa a recolha de dados nas explorações agrícolas.
Numa conferência realizada ontem, em Angra do Heroísmo, no âmbito do Seminário Inova Agro - Inovação, Sustentabilidade e Digital, João Pinelo, referiu que a rede de recolha com base na tecnologia IoT, para além de outras aplicações está já a ser utilizada em projetos na área agrícola.
João Pinelo apresentou como exemplo um projeto, que tem como parceiro a Unicol, que visa a deteção de fungos nas pastagens que podem causar doenças nos animais bovinos.
No entanto, o técnico do AIR Centre realçou que a rede IoT pode ser utilizada para monitorizar as atividades das explorações agrícolas com a instalação de sensores e outros equipamentos que asseguram a transmissão de dados.
"Os dados da rede instalada pelo AIR Centre estão abertos a quem os pretende usar para diferentes finalidades ou para a criação de produtos como aplicações", afirmou.
No entanto, João Pinelo realçou que cada exploração agrícola pode criar o seu sistema de recolha de dados com "um investimento que pode nem chegar aos três mil euros em três anos".
Apresentou como exemplo os custos para uma exploração agrícola com 100 cabeças de gado, em que se opção do empresário agrícola for pela instalação de um sistema de sensores e transmissão de dados, o custo, por três anos, pode ascender aos 7.700 euros, mas se a opção for pela utilização do envio de dados, por uma estrutura existente, então esse encargo baixa para 2.900 euros em três anos.

REFORÇO DO POSEI


Através de um vídeo gravado no Parlamento Europeu, em Bruxelas, a eurodeputada, Isabel Carvalhais, defendeu o aumento de verbas do POSEI, programa que apoia a agricultura das regiões ultraperiféricas da Europa.
Isabel Carvalhais sublinhou que por intervenção do Parlamento Europeu "foi possível evitar os cortes previstos para o POSEI".
Na sua intervenção, a eurodeputada socialista realçou as iniciativas em curso no sentido de que a agricultura europeia seja cada mais sustentável para cumprir os princípios previstos no Pacto Ecológico da Europa.
"A agricultura depende dos recursos naturais. Os agriculores têm de moderar o uso de azotos e adequar as suas práticas à nova Política Agrícola Comum (PAC), que é um instrumento de mudança nesse sentido", disse.
Filipe Duarte Santos, docente universitário, abordou o tema"Alterações climáticas e impacto na produção agrícola".
O investigador e membro do Conselho Nacional do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável disse que os Açores também estão a ser afetados pelas alterações climáticas, embora os efeitos sejam menores do que nas regiões continentais.

Fonte: Diário Insular