Câmara de Comércio pede a Governo dos Açores solução para atracagem no Porto da Calheta

A Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo (CCAH) pediu hoje ao Governo Regional dos Açores uma solução urgente para resolver os problemas relacionados com a atracagem de embarcações no Porto da Calheta, na ilha de São Jorge.

Em comunicado, a associação empresarial das ilhas Terceira, São Jorge e Graciosa revela que, na terça-feira, “o navio escalado pelos Transportes Marítimos Graciosenses (TMG) para o porto da Calheta, falhou, novamente, a escala naquele porto”, sendo deslocado para o porto de Velas.

“A situação deve-se a um problema identificado há muito, relacionado com uma baixa junto ao Porto da Calheta. Esta condiciona a atracagem dos navios no local, quando verificadas determinadas condições de ventos e ondulação, colocando em causa a operacionalidade da embarcação de carga, bem como a segurança dos tripulantes e mercadoria”, descreve a Câmara de Comércio.

A entidade lembra que a situação “é recorrente e já foi alvo de diversas intervenções e manifestações de desagrado”, nomeadamente por parte da CCAH, pelos representantes do seu Núcleo Empresarial da ilha de São Jorge e pelos vários empresários do concelho da Calheta, “sistematicamente prejudicados pelas frequentes alterações na escala dos navios de carga”.

Para a CCAH, “a mudança de escala repentina e frequente de um porto para outro, na ilha de São Jorge, obriga as empresas a cancelar ou adiar serviços de recolha e transporte e a ter um acréscimo de custos com esse transporte entre concelhos”.

“Além disso, provoca enormes incertezas na atividade logística e comercial das empresas do concelho”, alertam.

Ao Governo Regional foi pedida a “urgente resolução do problema”.

A intenção é que “a população e empresas da Calheta possam fazer uso de todo o potencial do cais, contribuindo para que a ilha de São Jorge faça parte do mercado interilhas”.


Fonte: Açores 9