Ilha Graciosa satisfeita com resposta a reivindicações mas aponta questões por resolver

O presidente do Conselho de Ilha da Graciosa considerou que a reunião de quarta-feira com o Governo Regional dos Açores foi “bastante positiva”, mas apontou algumas questões que não tiveram "resposta célere" do executivo.

Vítor Fonseca considerou que, apesar de o Governo dos Açores estar em final de mandato, “aceitou os pontos, de modo geral”, propostos no memorando de reivindicações do Conselho de Ilha.

O responsável pelo Conselho de Ilha, que esteve reunido com os membros do executivo açoriano, no âmbito da visita oficial à Graciosa, falava aos jornalistas, em Santa Cruz da Graciosa, após a reunião do organismo, presidida pelo chefe do executivo açoriano, Vasco Cordeiro.

O presidente do Conselho de Ilha Graciosa reivindicou a recuperação, no verão, de uma ligação aérea com esta ilha do grupo central do arquipélago dos Açores, por forma manterem-se as 14 ligações semanais que existiam.

Em declarações que antecederam a visita do Governo dos Açores, Vítor Fonseca explicou à agência Lusa que “nos transportes aéreos houve uma alteração do que tem sido o verão com a Graciosa”, tendo-se “passado a dois voos diretos com Ponta Delgada, mas subtraindo-se um voo, uma vez que havia 14 toques por semana e passou-se a ter 13".

Ou seja, à quarta-feira passou a existir apenas um voo, sendo a reivindicação do Conselho de Ilha continuar a ser os 14 toques.

O facto de a construção civil estar a ser confrontada com a falta de areia, há cerca de três meses, o que “está a colocar em causa os projetos em curso” - uma vez que a Graciosa não consegue extrair este material para consumo local - foi outra das questões que Vítor Fonseca mencionou, referindo que a “resposta do Governo dos Açores, apesar das diligências que está a fazer, não é satisfatória, uma vez que ela teria de ser imediata”.

No capítulo dos transportes marítimos e da exportação do gado, o responsável pelo Conselho de Ilha considerou a “resposta mais vaga”, uma vez que a questão não se prende apenas com o dia da semana da ligação com a Graciosa, mas, sim, da “articulação entre os transportes da ilha com outros locais do país”.

O secretário regional Adjunto da Presidência para os Assuntos Parlamentares, Berto Messias, também em declarações após a reunião com o Conselho de ilha, no caso do abastecimento da areia, referiu os “problemas que as dragas têm sentido”, tendo deixado a mensagem de que o Governo dos Açores está a “trabalhar uma solução para um problema que tem de ser resolvido no curto prazo”.

No caso da exportação do gado vivo, Berto Messias considerou que tem havido uma evolução significativa nesta matéria, apesar de “alguns constrangimentos”, como greves e mau tempo.

No caso específico dos transportes aéreos, o governante declarou que a reivindicação do Conselho de Ilha “está a ser analisada” e “vai avaliar-se se será possível ou não” realizar o voo pretendido sem “pôr em causa toda a operação da região”, salientando que o número de lugares da transportadora SATA Air Açores para a Graciosa “tem subido consideravelmente”.


Fonte: Lusa / AO Online