CCAH congratula-se com as medidas anunciadas para a Ilha Terceira

Foi com muita satisfação que a Direção da Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo (CCAH) recebeu os anúncios do acordo entre o Governo da Republica e da Região Autónoma dos Açores, comunicados pelo Primeiro-Ministro português acerca do início das operações low-cost para a Ilha terceira, da candidatura ao Plano Juncker de um programa de dinamização do porto da Praia da Vitória e do reaproveitamento futuro de infraestruturas da Base das Lajes. As medidas anunciadas respondem a três das principais reivindicações dos empresários locais para o desenvolvimento económico da Ilha.

Em relação às low-cost, o anúncio vem em boa hora, mas será importante concretizá-lo com a companhia e datas concretas para o arranque das operações. Sendo certo que a CCAH considera adequado o número de rotações anunciadas, é, no entanto, fundamental assegurar que, até ao início das operações, sejam garantidas as condições, pela SATA e TAP, nomeadamente lugares disponíveis e preço, no verão IATA deste ano. É, também, de salutar que estas operações estejam inseridas num programa mais vasto e integrado, de dinamização turística da ilha Terceira, que incluirá investimento na promoção externa e também na qualificação da oferta, aspetos que a CCAH tem, continuamente, insistido e trabalhado conjuntamente com outras entidades da Região.  

Já a candidatura ao Plano Juncker de um programa de dinamização do porto da Praia da Vitória, considera a CCAH, o dossier mais decisivo e estratégico para a economia da Região. O Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos permitirá mobilizar investimento público e privado, para o financiamento do projeto de criação na infraestrutura portuária da Praia da Vitória de um "Hub" atlântico.

Outro assunto de importância estratégica para a Ilha e para a Região é o reaproveitamento futuro de infraestruturas da Base das Lajes. Como temos afirmado, o problema da redução da presença americana deve ser entendido não como uma fatalidade mas como uma oportunidade de relançamento da economia, reaproveitando-se os espaços libertos e dotando-os de novas valências, preferencialmente articuladas com outros planos estratégicos para os Açores, para a Ilha Terceira e para a Praia da Vitória.

É, ainda, de realçar a referência dada à necessidade de concretização da certificação do uso civil da Base das Lajes.