Baixas no turismo colocam em causa sustentabilidade do setor

A Direção da Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo (CCAH) considera muito preocupantes os números da atividade turística divulgados hoje pelo Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA), que confirmam a enorme quebra anunciada pela CCAH no período da Páscoa.

Segundo os dados oficiais do SREA, as Ilhas Terceira e Graciosa tiveram quebras de 21% e 45%, respetivamente, no mês de Abril deste ano, em comparação com o mesmo mês do ano anterior, provocando baixas ainda maiores nos proveitos das unidades hoteleiras das Ilhas e colocando em causa a sustentabilidade de diversos negócios relacionados com este setor de atividade.

Os dados agora divulgados vão de encontro aos resultados do inquérito que a CCAH realizou às empresas, e oportunamente divulgados em Abril deste ano, que apontavam para quebras na ordem dos 20%. Na altura, a CCAH considerou que a causa se justificava pelo “desinvestimento que se tem sentido no que toca à promoção da ilha junto dos Operadores Nacionais e Estrangeiros e, especialmente, na captação de voos diretos”. Na altura o Diretor Regional do Turismo, João Bettencourt, citado pela comunicação social local, afirmou que teria existido “um crescimento do movimento no aeroporto das Lajes”, quando os dados oficiais acabaram por provar o contrário, e que estavam a ser “a ser mantidos contactos” com vista à “realização de voos charter para a Terceira”, que continuam sem se concretizar.

Neste sentido, a Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo volta a questionar o Governo Regional dos Açores:

- Para quando a captação das operações charter para a Terceira, e mesmo para o restante Grupo Central?
- Para quando uma estratégia integrada no Turismo, que envolva todas as Ilhas dos Açores de forma una, menos dependente do mercado nacional, em especial nas Ilhas Terceira e Graciosa, e capaz de mitigar o efeito de sazonalidade no setor?

As respostas a estas questões são fundamentais para que os operadores turísticos locais possam planear devidamente a sua atividade e manter a atividade e o emprego de forma sustentável e constante.