Açores registam aumento da venda de casas há três trimestres consecutivos

Açores, Madeira e região Centro registam, há três trimestres consecutivos, um aumento da venda de casas, contrariando desta forma a tendência de diminuição registada a nível nacional.

Os dados são do Instituto Nacional de Estatística (INE), onde se verifica que, entre abril e junho de 2019, o número de casas transacionadas nos Açores aumentou 0,6% relativamente ao período homólogo de 2018, totalizando um valor de 70 milhões de euros em casas vendidas no segundo trimestre do presente ano.

Já a região Centro registou um aumento de 2,6% do número de transações de habitações, com um valor total de 757 milhões de euros, enquanto a Madeira registou o maior aumento, com uma taxa de variação de 8,1% no segundo trimestre de 2019 face ao mesmo período de 2018, com um valor total de transações de 98 milhões de euros.

Segundo o relatório do INE, neste período, o Algarve, a Área Metropolitana de Lisboa e o Norte registaram reduções superiores a 9% no número de transações, tendo o Alentejo apresentado uma diminuição de 5,4%.

No que ao valor das habitações transacionadas diz respeito, entre abril e junho de 2019, o número aumentou em termos homólogos em quatro das sete regiões nacionais.

Assim, na Região Autónoma dos Açores verificou-se um aumento de 12%, 9,6% no Centro, 8,5% na Região Autónoma da Madeira e 1,8% no Algarve.

“À semelhança do observado no número de transações, no que respeita ao valor das mesmas, a Área Metropolitana de Lisboa e o Norte apresentaram reduções superiores ao registo nacional (-5,7% e -2,8%, pela mesma ordem).

No Alentejo, a redução no valor das habitações transacionadas fixou-se nos 2,4%”, refere o INE.Em termos globais, o relatório trimestral indica que o Índice de Preços da Habitação (IPHab) aumentou 10,1% no 2º trimestre de 2019 face ao mesmo período do ano anterior, 0,9 pontos percentuais (p.p.) acima do observado no 1º trimestre.

Entre abril e junho de 2019 foram transacionadas 42.590 habitações, traduzindo uma redução de 6,6% comparativamente com o 2º trimestre de 2018.

O valor das transações observadas neste período foi aproximadamente 6,1 mil milhões de euros, o que constitui uma redução homóloga de 1,9%.


Fonte: Açoriano Oriental